quinta-feira, 12 de maio de 2011

A POSTURA DO OBREIRO - BOAS ORIENTAÇÕES

Postura do Obreiro nos Cultos

Nossos cultos e reuniões são importantes e solenes, exigindo de nós a mesma postura tanto em um culto de domingo a noite cheio de visitantes quanto em uma madrugada só com a igreja. A responsabilidade e seriedade é a mesma.
Lembramos que a igreja é dividida em grupos de assistências, mas, o obreiro deve cuidar da igreja como um todo (Corpo) tem sua responsabilidade todos os dias com cultos, independente do grupo de assistência que estiver atuando naquele dia.

                      Reunião do Grupo de Assistência
A reunião do grupo de assistência não deve exceder 10 minutos. O obreiro deve identificar os enfermos do grupo, marcar visitas ,consultando ao Senhor no corpo, levar ao grupo a oração pelas necessidades dos irmãos e pelo crescimento espiritual do grupo de assistência e pela manifestação dos dons espirituais para o culto do dia.
Nesta reunião é definido também quem ficará na porta, quem participará da limpeza e outros, tudo sem perder a comunhão com Deus.
É função do obreiro levar o grupo de assistência a entender a responsabilidade com o culto profético.

Madrugada
Deve-se fazer orações relacionadas ao motivo do  mês, motivos da coordenação e os motivos da igreja local.
O obreiro deve estar vestido adequadamente, com camisa por dentro da calça, sapato ou tênis, evitar calça de moletom, chinelos e camisas com estampas estranhas. Nada impede a manifestação dos dons espirituais em nossas reuniões, especialmente nas madrugadas.

Porta/ Portão
Receber bem a igreja a os visitantes saudando-os com a paz do Senhor indiscriminadamente, auxiliar os idosos, conduzir os visitantes até o lugar aonde vão se assentar, sempre com sorriso nos lábios e simpatia. Nada de cara feia, mal-humorado. É melhor que indique outro para essa função se estiver com algum problema.
As mãos devem estar livres para qualquer eventualidade sem bíblia e coletânea nas mãos quando estiver na porta e no portão.


Reunião Para Busca do Culto Profético
Esta Reunião geralmente se inicia às 19:00hs com a presença dos irmãos do grupo do dia. O obreiro deve levar os irmão a comunhão e sensibilidade para ouvir a voz do Senhor e alcançar pela misericórdia de Deus os dons espirituais para o culto (lembrando que os dons devem vir de casa).
Após a consulta dos dons alcançados deve-se compartilhar com todo o grupo a interpretação dos dons, nunca desprezar as colocações feitas pelos irmãos especialmente dos novos na fé.

A relação de louvores deve seguir a seguinte ordem:
·        Clamor pelo sangue de Jesus;
·        Dedicação;
·        Glorificação / corinhos e outros.

Período de louvor
O período de louvor não é apenas um momento em que cantamos louvores ao Senhor, é um momento em que a igreja precisa alcançar comunhão com Deus, momento de libertação. O obreiro que estiver no período de louvor deve ser o primeiro a receber a sua porção e depois com o coração cheio levar a igreja à comunhão com o Senhor fazendo-a transbordar com o Espírito Santo.
Às vezes não se faz necessário cantar todos os louvores da lista, porque em um só louvor, o Senhor pode derramar a sua porção para aquele culto. O obreiro deve estar sensível a voz do Senhor e discernir o momento em que o Espírito Santo está operando no meio da igreja através do louvor, o obreiro não deve ter pressa em pedir o próximo louvor da lista.
Nunca pedir entre louvores três (3) glorificações consecutivas. Se uma oração for longa demais e fora do Espírito, apaga o fogo em que a igreja se encontra e interrompe a comunhão com o Senhor..

Mensagem:
Em primeiro lugar só devemos pregar aquilo que vivemos; lembramos que a palavra é uma espada de dois gumes, corta dos dois lados, ou seja: “É para quem ouve e para quem prega também”. Exemplo: Se você pregar amor, Deus vai te provar para saber se você realmente tem amor, se você pregar fé, Deus vai provar sua fé.
A mensagem tem que ser atual: Pregar aquilo que está sendo pregado na Obra como um todo, o que está sendo pregado nos seminários. Ex: Salvação, heresia e apostasia, mordomia e servo devedor.
Por este motivo é importante a participação dos obreiros nos seminários.
A mensagem tem que ter começo, meio, e fim.
·        Introdução
·        Desenvolvimento
·        Conclusão

Após a leitura da palavra deve-se explicar o que foi lido para entendimento dos visitantes, aplicando em seguida a revelação da palavra e concluindo com o apelo final conforme o objetivo da mensagem, seja para salvação, encorajamento ou exortação.
Os dons espirutais devem ser inseridos na entrega da mensagem, o visitante nem sempre está preparado pra ouvir os dons na integra.
É aconselhável ler poucos versículos para não tomar muito tempo e para não tornar a leitura da palavra cansativa.


Assistência Após o Culto
Após o culto os obreiros devem se posicionar na frente da igreja para iniciar a assistência do púlpito para o final do templo.
Após orar pelo visitante, não se deve formar um paredão de homens no fundo do templo, isso assusta qualquer visitante, após a oração o obreiro deve retornar para frente da igreja, desta maneira ele poderá visualizar o rebanho e saber quem mais deseja oração no meio da igreja.
Independente de mãos erguidas ou não o obreiro deve ter sensibilidade para saber o estado das ovelhas ou quem nos visita.
A oração deve ser objetiva e clara, evitar orações longas, constrangendo o visitante e atrasando o encerramento do culto, pois só depois do atendimento a todos que o culto se encerra.
Ao orar pelas Crianças, Intermediários e Adolescentes, incline-se para que os mesmos possam ouvir sua oração.
Outra coisa ao orar por uma pessoa lembre-se que a oração é para ela e não para toda a igreja, ou seja, orar, mas que não incomode quem está ao lado.

     Três campos da oração:
·        Família;
·        Vida profissional;
·        Saúde

Qualquer falha em um desses campos, automaticamente a vida espiritual será abalada (se forem servos).
Na nossa oração o Senhor pode revelar a necessidade do visitante, neste caso na oração mesmo deve-se colocar o motivo que o Senhor revelou.

Visitas:
De preferência que as visitas sejam agendadas para não constranger aquele que iremos visitar (não estava esperando a visita).
Para cada visita escolher as pessoas certas, nem todos estão preparados para certas visitas.
Ex.: A visita a uma pessoa doente que está em fase terminal;

Ex.: Lares divididos nos quais os familiares são resistentes a Obra.

Ex.: Visita a irmão em hospitais.
Não levar muita gente, às vezes a sala é pequena, não tendo assento para todos causando constrangimento para a pessoa visitada.
Se houver alguma manifestação do Senhor saber se ali é o momento certo para entregar ou levar para o pastor.

Conclusão
Não temos uma norma, mas precisamos ter discernimentos e sabedoria para que a Obra do Senhor tenha o seu lugar. Seja na igreja através do Culto ou nas visitar, pois as mesmas nada mais são do que um prolongamento dos nossos cultos.

Obs.: Entende-se por obreiro: todos que fazem uso do púlpito.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário